Como lidar com a falta do saneamento básico no Brasil

April 12, 2017

Avançamos muito pouco no quesito de saneamento e isso é grave, pois são inúmeros os danos que esse cenário pode trazer à população. De acordo com uma pesquisa realizada em 2015 pelo Instituto Trata Brasil, em parceria com a consultoria GO Associados, 50,3% dos brasileiros têm acesso à coleta de esgotos e, desse resultado, somente 42% dos esgotos são tratados. Diante desses números e diante da escassez hídrica, é importante aproveitar o Dia Mundial da Água, celebrado no último 22 de março, para debater a questão do saneamento básico.

É que outro dado significativo apresentado nesse estudo também chama a atenção: em 24 capitais brasileiras, menos de 80% dos esgotos são tratados.

Basta olhar para um dos grandes problemas da saúde pública no momento: a proliferação do mosquito Aedes Aegypti e o consequente aumento desenfreado dos casos de dengue, chikungunya e vírus zika. Isso ocorre porque o esgoto a céu aberto se acumula em poças, que se misturam às águas da chuva e se transformam em novos criadouros para o mosquito.

Uma publicação da Organização Mundial da Saúde (OMS), World Health Organization (WHO), de 2002, trata sobre a redução de riscos e promoção de uma vida saudável, o documento diz que efeitos adversos à saúde estão ligados à ingestão de água insegura associada à higiene inadequada e motivadas pela falta de acesso ao saneamento e gestão inadequada dos recursos e sistemas hídricos, sendo que a diarreia infecciosa é o maior fator de contribuição para carga de doenças associadas à agua, ao saneamento e à higiene. A diarreia infecciosa é responsável por cerca de 4 bilhões de casos a cada ano.

Outras doenças, como a febre tifoide, hepatite A e E, pólio e cólera também são potencialmente causadas pela falta de tratamento da água.

Além das muitas vítimas, o combate a essas doenças também afetam diretamente os cofres públicos, afinal investir em saneamento e prevenir os danos custa bem menos que cuidar de um paciente internado. Já é de conhecimento que, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cada dólar gasto com o saneamento básico representa uma economia de US$ 4,3 com a saúde.

Embora seja uma realidade distante de boa parte da população, algumas soluções químicas são extremamente eficazes para minimizar os níveis de contaminação da água e capazes de contribuir diretamente com a qualidade de rios, lagos, represas e lençóis freáticos.

Para auxiliar no tratamento feito tanto por administrações públicas quanto por privadas, empresas nacionais trabalham constantemente no desenvolvimento de sistemas e produtos altamente eficazes e seguros, como o Cloro ideal para desinfecção de águas e esgoto. Soluções a base de cloro já são aplicadas a mais de cem anos, por exemplo, em estações de tratamento e também em indústrias de alimentos e bebidas. É o meio mais eficaz e barato para prevenir doenças, eliminar parasitas, vírus, fungos e bactérias.

Ter água limpa e saneamento básico é mais que um direito, é sinônimo de qualidade de vida e saúde para a população. Por isso, o Dia da Água deve ser visto como uma oportunidade perfeita para chamarmos a atenção do poder público, da sociedade civil e da iniciativa privada para um dos grandes problemas do país que necessita urgente de uma solução.

NAT GEO RUN é a primeira corrida no Brasil a usar uma camiseta sustentável

Todos os participantes NAT GEO RUN, corrida que acontecerá dia 23 de abril, em São Paulo, irão receber uma camiseta especial feita com Amni Soul Eco®, o primeiro fio de poliamida biodegradável do mundo. O material permite uma redução no tempo de decomposição da peça na natureza, contribuindo para a preservação do meio ambiente e para um mundo melhor para as futuras gerações. Será a primeira corrida no Brasil a utilizar um tecido considerado sustentável, do vestuário esportivo.

Enquanto um tecido convencional demora em média 50 anos para se decompor, uma camiseta feita com o inovador material demora três anos, já que o processo de biodegradação do fio só começa quando a peça é descartada corretamente em aterro sanitário. Além do aspecto ambiental, a camiseta também cumpre exigências dos atletas: o tecido desenvolvido pela empresa Solatex é leve, macio e possui conforto térmico. A cada ano a NAT GEO RUN, corrida com a marca National Geographic, convoca milhares de pessoas em diferentes países ao redor do mundo com intuito de estimular a prática esportiva, e também de conscientizar as pessoas sobre a necessidade em se preservar o meio-ambiente, a importância no manejo dos recursos naturais da Terra, promovendo mudanças significativas nos hábitos cotidianos que contribuam para deixar o legado de um mundo melhor às futuras gerações. A primeira NAT GEO RUN aconteceu nas Filipinas em 2010 e desde então tem se replicado globalmente.

Por Elias Oliveira*

* *Gestor institucional da unidade de negócio Sabará Químicos e Ingredientes do Grupo Sabará e membro da Comissão de Estudo de Produtos Químicos para Saneamento Básico, Água e Esgoto da ABNT.

Fonte: Instituto Trata Brasil

 

 

Share on Facebook
Share on Twitter
Please reload

Featured Posts

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Recent Posts
Please reload

Archive
Please reload

Search By Tags

I'm busy working on my blog posts. Watch this space!

Please reload

Follow Us
  • Facebook Basic Square
  • Twitter Basic Square
  • Google+ Social Icon
  • Google+ Social Icon
  • Facebook Social Icon
  • LinkedIn Social Icon

© 2017 por Dom Engenharia